apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Beija-flor na janela.

Está findando minha estádia nesta casa, logo eu retorno para o meu verdadeiro lar-doce-lar e agora é fato, mas de uma coisa eu nunca vou esquecer, dos beija-flores que todos os dias pela manhã ficam na árvore - da qual eu não sei o nome - em frente a janela do meu quarto. São em dois e devem ser um casal, marido e mulher. Eles sempre estiveram lá naquele mesmo lugar, naquela mesma árvore e eu fui totalmente incapaz de percebê-los desde que cheguei aqui. Estava mais preocupada com minhas dores, com as pessoas e coisas que estavam me faltando, com meu próprio umbigo eu diria e não notei que coisa mais bonita estava na frente dos meus olhos. Só fui notar de fato a presença desses pequeninos seres quando realmente me percebi mais forte e talvez recuperada em termos de tudo que estava me maltratando, só quando comecei a me tratar física, mental e espiritualmente.
A Sra. Beija-flor eu imagino que seja a menorzinha e parece estar esperando vários beija-florzinhos porque está um tanto gordinha, mas eu ainda não consegui identificar um ninho, será que eles só começam a construir o ninho depois de alguns dias? Ou será que ela não está grávida e é apenas gordinha mesmo?
Ela fica sempre pousada num galho encurvadinha e ele o Sr. Beija-flor sempre imponente voa em volta dela, beija as flores, a beija também e ela sempre só levanta o pescocinho. Eles estão sempre juntos, será que eles se amam? Fiquei imaginando o que ele deve lhe falar nos ouvidos. Será que ela está brava com ele ou apenas fazendo um charminho daqueles que todas as mulheres sabem muito bem fazer?
Como a natureza é divina e não há quem possa contestar, eles são perfeitos, lindos em desmasia, possuem uma elegância inerente, são altivos. Corpinhos pequenos mas com um azul tão brilhante (chega a ofuscar as vistas) mesclado num verde diferente de todos que já vi. É mesmo de ficar horas olhando tamanha beleza em seres tão pequenos e frágeis.
Essas pequenas criaturinhas e tantas outras coisas dão outra feição a vida. Aí eu pergunto: como podemos nos esquecer de pequenos detalhes tão graciosos, que levam mais alegria a cada dia do nosso cotidiano? Faço uma analogia, eles são pequenos e resistem às transformações da natureza e dos homens, imagino que se eles podem, eu maior em tamanho físico e ser pensante também possa, todos podemos, basta querer ser e realizar algo por si mesmo e pelo próximo. O amor é princípio básico.
Bem aventurados aqueles que conseguem enxergar as pequenezas da vida e se sentir bem e feliz por estar vivo; bem aventurados aqueles que não se deixam derrubar pelas mazelas e provas de fogo que estamos propícios a cada instante. Eu quero ao fim de tudo poder gritar aos quatro cantos do universo que eu vivi tudo que foi colocado diante de mim com intensidade. A vida é muito breve, quando a percebemos ela poderá já ter passado, então meus queridos, vivamos intensamente!
Axé.


2 comentários:

Menina Marina disse...

Lindo e lírico. Belas palavras nobre senhorita. Belo texto.
Bela, vc.
Beijos

Camilla para os menos íntimos... disse...

obrigada...
menina marina
marina menina
moça bonita
morena marina.