apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

quinta-feira, 4 de março de 2010

sem título II

Como diz Silvano, o Sr. da limpeza, um nordestino arretado que trabalha comigo: "- que caraio todo é esse?" Está tudo errado ou será eu sou a errada no meio disso tudo e resta mais uma opção, tá tudo errado, eu sou errada fingindo estar certa e ainda tem um bando de louco gritando uns que sim e outros que não.
Confundida (essa crise eterna deve ser por conta da idade), sei onde peco, consigo apontar cada ato falho, onde escorreguei no tomate e cada acerto meu. Justifico todas as coisas porque tenho cacife para tal. Teorizo tudo pelo simples fato de ter cansado de agir por impulso e me foder "nesse caraio todo".
Essa vida é uma loucura, babilônia total e eu não sou mesmo a "menina linda" dos olhos do meu querido amigo Rui - como ele sempre me diz. Não gosto de teorizar nada, não queria, quero mesmo é ser bicho solto mas também não posso. Existe algo estático dentro de mim (apenas uma fase?) por inúmeros motivos, só que não posso dar passos maiores que minhas pernas nos meus 1,57m de altura.
Então tá tudo dito e não é tão bonito (na real), misturou tudo angústia e ansiedade. O ser humano não é facilmente adaptável à mudanças, tô tentando! mesmo depois de bater com a cara na porta 299 vezes. Tô preferindo falar pra cacete e fingir que estou indo quando na integra ando 5 passos e volto 3 (na melhor das hipóteses).
Adoro diagnósticos e me enfureço quando são precisos e verídicos. Tem gente por aí que me acha briguenta e petulante. Outros acham polêmica demais, outros chata. Engraçado mas alguns me acham doce (ledo engano) e tem aqueles que acham que eu não entendo nada e tentam me explicar pacientemente (ou não) tudo aquilo que já sei, falam mais do que eu quando tento de várias formas justificar todos os porques, prós e contras da minha vida e das situações (são mais ou tanto quanto problemáticos do que eu).
Aceito todos os subterfúgios que me cabem. Eu sei de tudo e não sei de nada, falo pra caralho e me contra-digo por vezes. Me perco para me poder me achar (como disse Kafka) e quando me acho faço questão de me perder novamente. Antes eu não pensava e me fodia, agora me fodo por pensar demais. Eu poderia ser mais maleável, podia!? Esse lance de 8 ou 80 é maluco! Por inúmeras vezes finjo ser o que não sou mas não consigo segurar o reggae por muito tempo, por isso abri mão FODA-SE! Tenho crises, fujo da realidade usando as estratégias que encontro, não estou conseguindo me desatrelar das minhas neuroses e histerias, no entanto estou trabalhando arduamente para isso, tudo bem consciente. A vida é uma grande tentativa.

3 comentários:

Gil Rosza disse...

pois é... e tenho certeza que é tudo isso que liquidificou mto no texto que te põe com o "dedo na ferida" na hora de escrever gostoso assim como tem feito, rsrsrs.

Longituderelatividade disse...

Ainda posso postar??? rs...

Camilla para os menos íntimos... disse...

porque perguntas?
claro que pode!