apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Faz lembrar.

Faz lembrar que todo esse processo é e está sendo doloroso, o processo da solidão é foda! Não é a solidão pela falta de um objeto de desejo, é a solidão do auto-conhecimento-reconhecimento. Há um vácuo enorme em tudo que se vê, no que se sente, nos lugares e instituições de convivio. A busca incessante por encontrar um lugar no mundo, encontrar sentido nas coisas e situações, nas pessoas e na vida em si, construir e desconstruir simultaneamente, pensar e refletir deliberadamente, é brusco e fere. São crises intensas quase que diárias, sintomáticas e somatizantes por vezes. Não é loucura, é a saída de uma condição para outra, é o entendimento do que ainda se fazia velado, negligenciado, mal-olhado, é o desprendimento das amarras, é enxergar mais claro mesmo que ainda se esteja no escuro, é crítico, é crescimento. Pareço estar andando sem rumo mas estrategicamente busco alternativas e possibilidades para sair da procrastinação a que todos estamos suscetíveis ou submetidos de certo modo.


7 comentários:

Anônimo disse...

gosto muito mas é foda escutar essas músicas essa hora.

meia noite é a hora do lobo, kkkkkk...

GIL ROSZA disse...

parafraseando o Voltaire que vc postou no outro blog, "bote uma ilusão no lugar da percepção da realidade e siga dizendo; sou (estou) feliz" rsrsrs...

Camilla Aloyá disse...

sem ilusões Gil, tá doendo enxergar o mundo, as pessoas e todas as suas dinâmicas como elas realmente são mas é necessário. Dizer que estou feliz seria muita hipocresia, felicidade é invenção do homem, a invento quando quero, e a vivêncio em pequenos momentos... , meu ideal e meus sonhos continuam os mesmos mas de certa forma mais maduros. Agora posso dizer contradizendo-me que a minha tristeza se transforma em alegria a cada vez que tenho novas crises, novos espasmos, insights, percepções diferenciadas desse mundo louco. Tô me construindo, me readaptando, me transformando, a principio pensei ser loucura mas não! e isso é maravilhoso, apesar de toda dor e das frustrações. Sou um ser humano privilegiado. (rs!)

Didi. disse...

Você passou-me a ideia de estar sendo liquidificada.

^^

GIL ROSZA disse...

gostei!

Camilla Aloyá disse...

Didi...
se é o que eu entendo por liquidificar, é isso mesmo... estou primeiramente inteira como os alimentos, logo me jogo no liquidificador com alguns alimentos e condimentos, moo-me inteira junto com todos eles, depois me jogo numa forma e coloco para assar, o tempo da solidão é o tempo de assar a massa que no fim estará muito mais sólida e saborosa porque foi a junção do tempo para cozimento e de vários alimentos suculentos.

:: Soul Sista :: disse...

Camilla, acordar com Badu depois de um porre é privilégio pra poucos! rsrsrsrrsrsr Adoro um porre de vez em quando, porque lembro, em meio às tonturas e cuidado dos amigos, que sou só humana. Nada mais do que isso!
Pra onde ir? Que caminhos seguir? Tantas palavras diferentes que nos dão sentido e que nos tiram do velho caminho de vez. A vida é doida, doida, mas muito magnífica também: um presente de grego ou um presente de pandora. Muitas vezes abrimos caixas e saborosas surpresesas se nos presenteiam.
Só digo que, apontando essa certeza da incerteza, você está no caminho. Estamos todas!

Grande beijo!