apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

NINA.

"Eu tenho uma teoria. Os indivíduos se dividem em duas categorias: os ordinários e os extraordinários. Os ordinários são pessoas corretas que vivem na obediência e gostam de ser obedientes. Já os extraordinários são as pessoas que criam alguma coisa nova, todos os que infringem a velha lei, os destruidores. Os primeiros, conservam o mundo como ele é. Os outros, movem o mundo para um objetivo, mesmo que para isso tenham que cometer um crime".

(Nina, no monólogo do início do filme)

Filme: Nina
Direção: Heitor Dhalia
Gênero: Drama
Ano: 2004

PS: Já assisti duas vezes, quer dizer, a primeira vez peguei o filme pela metade e agora comecei o filme do início e parei no meio, se somar as duas tentativas penso eu que o vi todo.

PS2: Quem já leu "Crime e Castigo" de F. Dostoiévski sabe do que estou falando e irá notar a semelhança, proposital (?).

2 comentários:

GIL ROSZA disse...

adoro a estética urbana dos filmes do heitor. gostei tbm do que ele fez depois, "o cheiro do ralo"...
nina é duka, podis crê!

Camilla Aloyá disse...

eu também... o cara tem uma sacada boa.