apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Empowerment.

O empowerment é aquilo que chamamos de poder e autonomia dado a alguém para tomada de decisão. Utilizamos muito esse tal empoderamento (abrasileirando a palavra estrangeira) na minha profissão, onde o maior poder de decisão é da própria pessoa beneficiária das políticas públicas, sendo ela por conseguinte protagonista e agente de transformação da sua história.

Quando se trata de nossa vida pessoal, quando nos é dado poder de escolhas e decisão, mesmo levando em consideração que a vida é feita de escolhas a todo momento, em nada se diferencia, não dá para eximir sentimentos e questinamentos. Nessa hora dá tudo, a cabeça rodopia, borboletas voam dentro do estômago, as pernas tremem numa espécie de medo e o coração dispara de ansiedade. Difícil controlar, eu odeio ter que ter controle sobre as situações, quando na verdade eu queria era gritar.

Eu vivo dizendo que não podemos de jeito maneira perder o foco e quando chega a hora o que bate é a insegurança. Tudo que buscamos está começando a dar sinais de vida, tudo que planejamos está começando a amadurecer, fico feliz mas isso não me impede de ter sentimentos humanos, dúvidas e receios. Está na hora de cortar o cordão umbilical, começar do zero, construir algo novo, desafiar a própria vida. É o começo de um novo ciclo.

Continuarei, "manter o foco" é isso que me fará decidir tudo com calma e lucidez, amanhã é outro dia. Tudo vai dar pé!

2 comentários:

Didi. disse...

Entendo essa situação, ehehe, no meu trabalho fico em cargo de comando mas tem hora que dá vontade de partir o pescoço de uns e preciso forçar uma 'voz pedagógica' aff maria.

rsrsrs


bjo.



suuuuuuceeeessoooo

Camilla Aloyá disse...

O difícil Didi é quando precisamos forçar uma "voz pedagógica" na nossa vida pessoal...