apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Como assim?


O príncipio supremo da justiça, a imparcialidade está sendo manipulada no estado da Flórida nos Estados Unidos, no caso de John Ditullio, 24 anos. Com a autorização do juiz a pedido da defesa ele está sendo maquiado todos os dias para aparecer diante do júri. Ele somente tem uma suástica e palavrões tautados no pescoço e desenho de arame farpado no rosto.

Logicamente nenhum jurado olhará o garotão com imparcialidade, concordemos que uma pessoa com a sanidade mental em boas condições e que não expõe a vida das pessoas e da sociedade ao risco não desenharia um símbolo nazista no pescoço. Mas besta ele não é porque teve medo se apresentar as claras. Até mesmo os profissionais de maquiagem se negaram a realizar o serviço, somente na décima entrevista que a profissional aceitou o trabalho por $125 dólares a sessão e mesmo assim pediu anonimato.

Infelizmente a imagem ainda conta muito, sinto isso quando nos curriculos aparecem a observação: BOA APARÊNCIA o que quer dizer que de repente um negro, uma pessoa tatuada (que não seja com símbolos de matança) ou qualquer outro tipo de etnia ou estereótipo atrapalhará todo o processo. Fala sério!

3 comentários:

GIL ROSZA disse...

Coincidência! =) Tava redigindo um texto sobre neonazimo ontem a noite e parei pra cuidar da minha gata, distrai com os saracoticos dela e acabou não conclui, rsrsrs.

GIL ROSZA disse...

Bastidores do politicamente correto:

"01/02/2011 - 09h44
Para EUA, candidato a visto é dividido em "bom", "mau" e "feio"

Deu na Folha On Line.
Copiou?

Camilla Dias disse...

Gil, mon chér, passarei pelo seu blog pra dar uma atualizada na lida dos seus escritos, beijos.