apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

terça-feira, 31 de maio de 2011

PLC 122/2006.

Eu não poderia deixar de expor minha opinião quanto a PLC 122/2006 que está em tramitação na Câmara do Deputados em Brasília. Tenho alguns amigos gays e lésbicas. pessoas ótimas, de bom coração, inteligentes; a sexualidade dessas pessoas não impede que eu ame a vida de todos eles e os respeitem, mas não posso deixar de expor minha indignação quanto ao corpo/texto da lei. A sexualidade de cada indivíduo diz respeito apenas a ele mesmo, mesmo porque ninguém é digno de julgar o próximo, se contas terão de ser prestadas, estas não serão dadas a meros mortais como nós. Não sou homofóbica, sou contra o preconceito, discriminação ou violência seja ela qual for sua forma de manifestação. Por isso deixo aberto a opinião de todos que quiserem expor, seja de acordo ou contra minha posição neste post.

Foi achada uma brecha nesse PL que justifica e possívelmente pode isentar casos como o de Pedofilia (Artigo 1), colocando-a como opção sexual, ou seja, minha opção sexual é por crianças ou ainda ferem o direito de livre expressão da população brasileira num todo (Artigo 16, parag. 5º). Como dito no texto referente ao abaixo assinado que será apresentado hoje em Brasília assinado pelas pessoas que são contra o PL, deixemos claro que a luta não é contra as pessoas mas contra a lei que está em tramitação:

"Os cidadãos abaixo assinados vêm expressar seu REPÚDIO ao Projeto de Lei 122/2006 (PLC 122), que, de forma preconceituosa, AFRONTA o sagrado direito constitucional da LIBERDADE DE EXPRESSÃO, sem considerar ainda as opções religiosas e sua liberdade garantida na Carta Magna, e atenta contra os mais básicos princípios de sustentação da família brasileira, seus costumes e sua formação..."

Nós que acreditamos na fidelidade da palavra de Deus vinda do evangelho, não poderemos colocar a nossa posição enquanto cristãos no que se refere a questão homossexual caso a lei seja aprovada, porque correremos o risco de sermos reclusos, querem criminalizar o direito de crítica. Eu não sou homofóbica sou contra o PL. A nossa luta como corpo (igreja) não é contra as pessoas homossexuais, a luta é contra a influência a que essas pessoas estão submtidas espiritualmente de acordo com os preceitos da palavra escrita no Evangelho de Deus.

"Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." (Efésios 6.12)


Segue link do texto da Lei:
http://www.senado.gov.br/atividade/materia/getPDF.asp?t=45607&tp=1

9 comentários:

GIL ROSZA disse...

É justo é que as leis desse país precisem ser analisadas cuidadosamente antes de entrarem em vigor, afinal não é justo que o estado aja de forma parcial, como num governo fraco, se submetendo por medo de votos futuros, popularidade ou governabilidade à pressão de grupos ou entidades!
É justo também que cada um individualmente ou como parte de um grupo tenha sim direito de guardar para si próprio suas crenças, seus valores morais, etc.
Faz parte da boa convivência democrática em um estado laico, que as pessoas não tenham necessidade nenhuma de apreciar ou concordar com aquilo que vai contra seus preceitos, ideologia, doutrina ou gosto pessoal, isso pode incluir não aprovar relações homoafetivas.
Agora, o que não parece nada justo é em nome de Deus, do moralismo, duma religião, PREGAR publicamente contra isso usando termos abusivos, agressivos e ofensivos à PESSOAS, cidadãos e cidadãs que fazem uso da lei do país ao escolherem livremente essa modalidade de relacionamento para suas vidas.
Quando se usa a bíblia ou qualquer outro compêndio sagrado para tentar impedir que o governo use Leis Federais, Estaduais ou Municipais para bloquear o acesso destes cidadãos que vivem segundo suas escolhas pessoais, à direitos sociais adquiridos é bastante insensato.
Pior é quando lideres de comunidades religiosas se dirigem a eles, citando-as debaixo de termos como; “condenados, “amaldiçoados”, “impuros”, “sodomitas”, “decaídos”. Usar publicamente estes termos ou quaisquer outros, visando reduzir gays à condição de cidadãos de segunda classe, estorvo ou escória social, não é fazer o mesmo que nazistas, fascistas e racistas fazem usando como desculpa, a “liberdade de expressão”? Na verdade, quando recorrem à essa dita “liberdade de expressão”, querem mesmo é justificar suas tentativas de oprimir outros quer pela cor da pele, quer pela região de nascimento, quer pela condição social, escolaridade ou qualquer outro item que não seja unânime ao que professam muitas vezes equivocadamente como sendo certo ou errado.

Camilla Dias disse...

O evangelho de Deus é bem claro ao dizer que existe algo fora da vontade de Deus numa relação homossexual, no entanto, nunca foi dito que essas pessoas não entrassem na igreja, serão bem vindas pelo direito de ir e vir constituído por lei e também pela vontade de querer se achegar e conhecer mais de Jesus Cristo, não usamos de termos como esses para provocar situações vexatórias nem em público, o que é dito sobre isso é dentro da igreja e como está escrito no evangelho. Não reduzimos seres humanos a escória, nem lançamos a maldição de dizer que são amaldiçoados, pelo menos não no ministério que eu frequento, e impuro, pecadores(?) quem não é, pecamos até de boca fechada, agora também cremos que se pedirmos perdão por essas impurezas e pecados seremos renovados. A questão é que se há ou não fidelidade no que está escrito na bíblia isso cabe a cada um decidir se acredita fielmente ou se está sendo ludibriado, pois, assim está escrito, que todos terão "livre-arbitrio" para escolher seguir e odebedecer ou não. Nós pregamos a palavra que lá está impressa e não julgamos, apenas pregamos que há um comportamento diferente daquele que Deus quer, mas aí também é subjetivo, apesar de acreditarmos num único Deus, as pessoas acreditam e criam o Deus (ou os deuses que quiserem), acreditam na opção sexual e que não há mal nisso também se quiserem. Tudo que nós como corpo de Cristo queremos é expressar e colocar em prática o que nos vem sendo passado através do evangelho.

GIL ROSZA disse...

Bem explanado o que disse Camilla. É de fato importante que se saiba que não é a bíblia e nem o que ela diz que está em jogo, mas o DIREITO de cada pessoa de ESCOLHER VIVER do jeito que quiser desde que isso não tire a liberdade de outros de fazerem o mesmo.
No decorrer da História, nazistas, fascistas, racistas e outros “istas” vem tentando não apenas impor a sua visão particular de mundo, mas tentam privar outros da liberdade de viverem debaixo de seus próprios valores. Não aprovar as relações afetivas e se manifestar pacificamente contra elas é democraticamente saudável e legitimo, isso é indiscutível, mas o que não considero saudável é tentar pressionar o governo a adotar como norma para todos, um modo de vida que não é compartilhado por todos. Seria o mesmo que uma bancada de parlamentares que bate em mulheres, começasse a reclamar e pressionar o governo afirmando que a Lei Maria da Penha interfere em suas relações culturalmente machistas, ou que deputados racistas alegassem que a Lei contra o racismo, fere o direito à livre expressão! Certas leis devem proteger os oprimidos e não os opressores.
O governo deve sim atuar de forma imparcial como autoridade, para garantir por lei, que gays, héteros, evangélicos, espíritas, pretos e brancos possam ter seus direitos preservados, mas estes grupos, por sua vez, devem saber que tentar impor valores pessoais como a ÚNICA POSIÇÃO aceitável e pregar agressivamente pela desqualificação e a extinção de outros valores, não apenas entre as quatro paredes de um templo, mas PUBLICAMENTE em rede nacional numa TV aberta ou numa Rádio é que me parece antidemocrático.

Camilla Dias disse...

Ir contra o PL para a igreja evangélica é na questão defendida pelo envangelho, ou seja, na questão da construção familiar e de algumas brechas que posssivelmente serão usadas por advogados ao defender crimes como pedofilia.
De fato não acho nada bonito ver dois homens ou duas mulheres se beijando na minha frente, se querem ter intimidade que a tenham em suas casas, assim como eu heterossexual tenho as minhas sem necessariamente ficar de carinhos e carícias explicitos, e mais, quando estou acompanhada da minha filha de 7 anos e ela me pergunta porque dois homens ou duas mulheres se beijam, ou memso quando ela vê um casal heterossexual e eu tenho que explicar da mesma forma. Cada um deve ter sua intimidade reservada e preservada.
Caso a lei seja aprovada, nós enquanto corpo também queremos ter o direito de expressar aquilo que está escrito no evangelho e lá diz claramente que uma relação com pessoas do mesmo sexo não é aceitável para os cristãos, deixo claro, para os cristãos e se algum homossexual estiver na igreja naquela hora e se sentir discriminado poderá nos processar por isso, mas não saímos gritando pelas ruas, estamos tendo nosso culto religioso em lugar propricio a isso, bem como se um casal homossexual quiser que um pastor da igreja evangélica ou qualquer outra igreja realize seu casamento e este se negar pode soar como ato discriminatório e ser aberto um processo, não acredito que isso seja democracia.

Camilla Dias disse...

E ser gay ou estar na condição de gay não é um valor pessoal que está sendo defendido? o direito garantido pela legislação que diz sobre a HOMOFOBIA essa população já tem, nossos valores pessoais são tanto quanto importantes quantos os que os homossexuais querem defender ou não?

ϟ Cynthia Brito disse...

Entendo-te perfeitamente, Camilla. E estou num pacto de acordo com você! De fato, meus princípios são os bíblicos e, como já tenho dito pra ti, ser contra o homossexualismo não significa que eu seja rude ou trate com desprezo estas pessoas. Penso até o contrário, pois há em mim a concepção de que todas as pessoas são boas e não existe termos para classificarmos em tais aspectos, por mais que existam as diferenças. Não tenho nada a ver com a sexualidade destes, apenas preservo os meus (família, amigos, enfim, minha geração), pois não desejo essa visão errônea de mundo para meus filhos. Contudo, a visão que tenho é de que esse não é um caminho correto, e que com o passar dos anos veio virando modinha. Não acredito que existam tantos gays no mundo, acho que muitos apenas se divertem, por querer chamar a atenção de alguma forma. "Viram" gays porque o relacionamento com um hetero não deu certo, ou enfim, por algum dado na sua vida. Ah, nessas horas, queria voltar no tempo dos meus avós, onde os pais poderiam escolher com quem casar os filhos, assim não haveria risco de casar homem com homem e mulher com mulher, e não viver neste mundo onde o desamor toma conta e o filho pode fazer o que quiser, inclusive escolher seu próprio caminho, indo na contramão. Enfim, acho que Deus sempre nos chama para irmos na pista certa! É importante ter conhecimento sobre as leis de Deus, pois Este é o princípio de tudo e todos. Portanto, como podemos atribuir novas leis sem termos conhecimento do que já se tornou lei antes mesmo de nos entendermos por gente? Não será, desta forma, um pré-conceito? Aliás, qual nosso conceito sobre a religião de Deus, sobre a santidade, sobre a ressurreição da carne, sobre a vida eterna?
Há muitas coisas que podemos fazer para nos salvar dos males e dos pecados do mundo, mas parece que a cegueira toma conta das pessoas, e ninguém consegue enxergar a verdade. Mas, sabe, Camilla, eu continuo rezando por essas pessoas, pois sempre é tempo de se voltar para Deus e conhecer a verdade, ir pelo caminho certo, seguir seu rumo sabendo que existe um Grandioso ao seu lado.
Não creio que suas palavras sejam sentimentos com o incentivo de atingir alguém como pessoa que tem preconceito. Não! Sou de pleno acordo à liberdade de expressão, visto que o que falas não fere ninguém, falas apenas da nossa luta, do nosso querer, dos nossos princípios. Sabe, as pessoas chegam, formam um grupo e fazem um manifesto, quando nos damos por percebidos já está pronta uma multidão, todos gritando por uma única coisa, e mais gente chega perto, e mais, e mais. Assim, o grupo vai crescendo, com mais pessoas numa luta a favor de seu querer. Fazem o maior rebuliço e começam a atingir os quietos, que olham o manifesto de longe, ainda se questionando o porque de tudo, ao dizer que são preconceituosos, pois é direito de todos escolher qual caminho seguir, se referindo, à religião, sexualidade, profissão, enfim, e que ser contra isto é está em desacordo com a lei tal, pois isto fere o grupo tal... e mais uns blablablás.

[continua]

ϟ Cynthia Brito disse...

[continuando...]

Puxa, EU NÃO TENHO PRECONCEITO COM GAYS. Por mim, que sejam de que sexo for, são pessoas, são humanos, têm coração, têm sentimentos, pensam, estudam, trabalham, fazem planos, traçam metas, sonham e se realizam, são inteligentes, são esforçados, lutam pelo que querem, suam a camisa, têm suas crenças e religiões, são voluntários, fazem doações para ONG's e casas de apoio e afins. São normais! Mas, lógico, existem diferenças, e o que difere os heteros dos homos, é justamente a sexualidade, o que eu não sou de acordo, pois na minha opinião, um ser não deve sentir prazer com um outro que seja do mesmo sexo. Ter um amor é algo muito natural e Deus nunca proibiu, contanto que seja um amor santo, um relacionamento santo, um namoro e casamento santo, e não contra Sua lei. Eu não entendo os princípios de um homossexual, mas minha opinião é que sempre existe um outro lado da história. Se você prefere ser homossexual porque não existe alguém heterossexual que você goste (no caso de falta de opção), ou porque é amor que você sente (no caso de ser a única pessoa por quem você se apaixonou), ou porque foi escolha sua (se acaso este sempre foi o caminho que você achou melhor pra sua vida), ou por qualquer outro motivo, é bom refletir sobre sua história, sobre você, ter piedade de si mesmo, ter amor, ter vida e, realmente, viver o que lhe convém. Será que o que você sente é mesmo amor, ou será a triste solidão ou uma mágoa que te fez encher a vida com essa 'lenda do amor'? Já tentou se aproximar de pessoas heterossexuais, de sexo oposto ao seu e conviver com esta pessoa alguns momentos, mas que seja como quem você é de verdade, do jeito que você nasceu, sem troca de sexo nem de sexualidade?
Eu sei que todos nós temos nossas preferências e desejos, mas se comprometer com um relacionamento gay significa que você fez um pacto contra a igreja por todos os dias da tua vida até que se prove o contrário. É algo que existe coragem, tanto para ser gay, como para deixar de ser gay. Eu sei que é difícil viver e ter que conviver com o preconceito, o que não trato aqui, neste comentário. Bom, não há graça nem virtude contemplar os mistérios do corpo de outrem que a gente já sabe como é, e sentir desejo por ele é ainda mais sacana. Um casamento sutil, verdadeiro, onde existe harmonia, amor e compaixão deve ser assinado de maneira correta, de maneira cristã. Portanto, sou também contra o casamento entre homossexuais na igreja, já que nela prevalece as leis de Deus. Não é para ter respeito!?

E ponto final, pois já falei por demais hoje :s

[fim]

ni disse...

Tô passada!!! Que é isso pretinha? Jesus tocou e vc tá virando meio reacionária? Eu não entendo da lei dos homens. So entendo da lei da vida... e ela diz: viva a diversidade. viva o direito de viver e morrer, únicas certezas absolutas. tomara que a palavra bíblica esteja certa. e que esse deus destrua tudo por aqui, por que tá ficando foda, viu!!!
é gente contra e a favor do que mesmo?
jesus foi bem claro: ame o próximo como a si mesmo... logo, um pedófilo não se ama, um asaasino não se ama, um deficiente não se ama, um preto, pobre, um ser humano qualquer perdido não se ama?
quem pode julgar suas próprias escolhas que julgue e atire a primeira pedra. eu quero ver deus obrar milagres de gentilezas entre nós. com amor, rosane

Camilla Dias disse...

Ô minha linda Ni, fica passada não, eu continuo amando todos os gays, lésbicas e entendidos, só passei a ver a vida de outra forma. Reacionária não, mas eu já sabia que me classificariam dessa forma, aminha mudança assustou a muitos mas eu a sustento. Todos temos direitos de querer ser o que quisermos ser, no entanto, todos também temos direito de expressar algumas idéias, o que não quer dizer que por isso deixamos de amar, de respeitar, de se importar. O mundo não vai acabar com destruição, quem lê e estuda a bíblia, assim como Jesus disse e seus discipulos também o disseram, o mundo acabará pelas mãos, pelo modo de pensar e de agir do ser humano. O milagre de Deus já opera em nós apenas por estarmos vivos, agora a questão que vc diz ser milagre e que nós chamamos de "carater ou atitudes" só quem pode mudar é a própria pessoa, Deus é educado, não chega mudando tudo na vida de alguém muito menos obranado milagres, Ele só entra na vida de alguém e a transforma, bem como realiza milagres, se essa mesma pessoa aceitar que Ele os opere. Beijos amada, eu amo sua vida!