apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

sábado, 10 de janeiro de 2009

Autoconhecimento, não autoflagelamento.

Estou vivendo um novo momento, um momento unicamente meu.
Momento de me auto-conhecer, de refletir sobre o que realmente desejo, o que espero das pessoas, dos meus relacionamentos, do meu trabalho, do mundo... literalmente estou "limpando a merda" que transborda em minha vida, relembrando fatos passados e desmitificando-os para poder compreeender em que estágio me encontro e porque naquela época eu me submeti a tais situações felizes ou infelizes.
Faz-se necessário pensar, refletir e reavaliar, reavaliar as situações já vividas para que eu não cometa os mesmos erros e possa fazer deles agora acertos, ou senão na melhor das hipóteses consiga resolver os problemas de maneira diferenciada.
O meu quarto já não é mais um mero quadrado sorumbático, é meu templo de meditação, de reflexão, nele eu estou me encontrando e percebendo que a solidão tem lá seu lado bom e construtivo. E não dependo de ninguém para realizar esse feito, a realização deste só depende de mim.
A dependência emocional (generalizando: família, relacionamento, amigos) estava me deixando fóbica e percebo agora que posso estar sozinha, que é bom estar sozinha, que posso trazer meus fantasmas a tona, posso ser eu mesmo, posso chorar, sorrir, gritar, xingar, posso qualquer coisa e independente de ter ou não alguém ao meu lado, seja lá quem for.
Nada é perdido, tudo é construção e assim como construímos uma concepção podemos desconstruí-la.
Posso lhes dizer que é dolorido olhar pra trás, relembrar o que já passou, como nos deixa triste fazer essa reconstrução dos fatos, puta merda! os laivos de decepção, de vergonha, de melancolia, de raiva, de culpa, tudo isso me deixa terrivelmente depressiva por alguns instantes mas sequencialmente percebo o quão destemida eu fui... sofri sim! mas passei por cima de todas as barreiras, cai, levantei, posso dizer que cheguei a escorrer na merda por um longo período e toda vez que tentava levantar, escorregava e rolava na merda denovo. E são essas experiências e sentimentos que estão me dando força para superar novos conflitos internos e externos.
Agora se eu tiver que chorar, eu choro e entro em contato com a minha dor e com todas as experiências que vivi, pois, só assim consigo me conhecer melhor.
Tudo isso está me fazendo muito bem, para quem me conheceu antes e agora me encontra, as palavras são as mesmas:
- O que houve com você?
- Nossa como você mudou!
E eu deveras me alegro com isso, a água que passa num rio nunca é a mesma... eu estou em constante tranformação, meu crescimento é notório, e não falo isso para me vangloriar de algo surreal, eu percebo a mudança no meu modo de agir, falar e de contemplar a vida. Emocionalmente falando ainda tenho muito que arrumar dentro dessa minha cabecinha e desse meu coração, mas as coisas estão caminhando... é tudo aprendizado.
E para tudo isso acontecer eu apenas parei pra PENSAR situação que nunca tinha vivenciado antes, uma vez que, a Camilla sempre foi um ser impulsivo, o que também não posso dizer que só me trouxe tristezas, com a impulsidade, ainda que de maneira miníma, acabei conseguindo algumas coisas boas. Nada é de todo ruim, ninguém está completamente certo ou completamente errado.
Eu estou me conhecendo enquanto mulher e negra (históricamente moldada pra viver numa sociedade machista, preconceituosa e mercantilista), enquanto mãe, profissional, enquanto ser humana e o melhor de tudo: rompendo com a alienação, a dependência emocional, quebrando paradigmas no ditâme social.



"Existe somente um instrumento para obtermos a "libertação" e esse é emancipar-nos desde dentro."

*Collete Dowling, in: "Complexo de Cinderela"


3 comentários:

D@nica disse...

Gostaria de ter palavras pra postar igualmente lindo tudo o que li aqui, Camis.
Uma postagem melhor que a outra e até as divulgadas entre aspas, são escolhidas com grande ousadia e bom gosto.

Serei uma visitante frequente... rs!
Congratulations! ;D
*
*
*

Camilla para os menos íntimos... disse...

obrigada, sinta-se a vontade!

Ligia disse...

Camilla, amei seu blog...valeu! Bjs
Lígia