apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Cidadã Bernardense.

Para usufruir dos serviços públicos de um munícipio, a regra é clara, deve-se comprovar tempo de residência no mesmo, 06 meses ou nada feito. Sendo assim, eu me denomino e entrego a mim mesmo o honorário título de Cidadã Bernardense. Moradora da Rua Taubaté no bairro residencial Baeta Neves há 01 ano, aproximadamente 9 minutos a pé do Centro de São Bernardo do Campo. Agora possuo dupla municipalidade.
Vou sentir falta dessa cidade, que faz frio até no calor, desse bairro calmo com cara de bairro de velhinhos, onde eu podia chegar a hora que fosse e a calma e o silêncio pairavam no ar. No começo foi difícil me adaptar a uma cidade, uma casa, um quarto e um banheiro que não eram meus. A saudade das pessoas que eu amo, tudo isso foi muito complicado. Agora penso como me readaptar numa terceira casa com tudo novo denovo. Sentirei falta desse meu quarto pequeno e apertado, cheio de caixas e colchão no chão (por opção), o cantinho da barbárie onde fica o computador, a janela, oh! a janela! que foi minha companheira e que todo dia me mostrava coisas diferentes, nunca era a mesma paisagem. De tudo um pouco aconteceu aqui dentro desse quarto no começo sorumbático mas agora revendo tudo que vivi penso que foi o lugar do meu auto-conhecimento, de uma solidão reflexiva e construtiva. Fui feliz nessa casa e também passei por maus bocados. Aqui quase que acabo com minha vida e aqui agradeci por não ter conseguido. Sentirei falta da Tia Bete me fazendo rir.
Lembrarei das caminhadas que fazia no Parque da Juventude ao entardecer, do bar-lanchonete-restaurante na Av. Armando Ítalo Setti que tantas vezes fui almoçar por pura preguiça de fazer comida, me serviam uma comidinha caseira com gosto de família. Andar de a pé na Av. Marechal Deodoro em dia de pagamento. Fará falta os jogos de handboll que eu assitia no Baetão. Os shows na Câmara de Cultura, os filmes que vi na faixa no Teatro Cacilda Becker. Os passeios no Riacho Grande e as porções de porquinho com cerveja. As visitas noturnas e rápidas de pessoas especiais. Grande experiência foi trabalhar na comunidade do Areião, uma das favelas que dá para ver da Via Anchieta. Vai fazer toda diferença na minha pequena grande vida essa temporada que passei nessa cidade. Sentirei falta até do trajeto do ônibus 06 e do pueirinha 238.
Eu estava com mais dificuldade em aceitar que terei de me mudar denovo, de fato mexeu com meu emocional, precisei de dois dias internada no meu quarto introduzindo em meu cerébro afetado a idéia de que é chegado o momento e será melhor assim.
Já estou a arrumar minha mudança, não é muita coisa, roupas e livros, móveis mesmo não tenho aqui comigo, já estão todos na casa que vou morar, comprei uma estante de livros nova e também um microondas que já foram entregues lá. Me mudo no domingo pela tarde, uma amiga fará meu carreto. Estou ansiosa e um pouco insegura, voltarei para perto da minha família, a volta não é fácil, acostumar com a rotina da família denovo e principalmente com o jeito estranho da Sra. Ivone Dias não será nada fácil. Na próxima postagem já estarei em Santo André na casa nova. Aqui deixo minhas estimas por São Bernardo do Campo, São Paulo, Brasil. Até mais.

PS: arrumei um emprego novo, os anjinhos da guarda estiveram comigo hoje todo o tempo, por onde eu andava via um, não precisei dar resposta nunhuma simplismente me mandaram ficar, não mais precisarei fazer a viagem longa, tudonovodenovo!

São Bernardo do Campo (vista áerea)

Parque da Juventude e Av. Armando Ítalo Setti

Câmara de Cultura (Av. Marechal Deodoro)

5 comentários:

Carol disse...

Espero ser um desses "anjinhos da guarda" q estiveram c/ vc. Tá, talvez não seja. Mta coisa bagunçada acontece na vida... cada um com a sua confusão. AMO VOCÊ DEMAIS, e espero mto o seu bem, SEMPRE, em tudo q fizer. Fico feliz por vc ter aprendido tanto, compreendido tantas coisas, ter VIVIDO tantas coisas. Coisas ruins, coisas boas. A escolha parte de vc.

E não se esqueça: "É melhor ser alegre que ser triste... MAS, pra fazer um samba com beleza é preciso um bocado de tristeza - é preciso um bocado de tristeza, senão não se faz um samba, não..."

Eduardo Machado Santinon disse...

Esse quadro do Hector aí tá todo mundo saindo da buça da nega ? caraio, que porra Hector.

Bola, o André disse...

POEIRINHA 238???? peguei muito... eu e o Du chamávamos ele de Little powder, duzentos e thirty eight... hehehe... parabéns e boa sorte no novo trampo...

Vivian Leão disse...

Que negócio é esse de ficar pagando pau pra São Bernardo, heim?
Nós somos Andreenses... daqueles, sabe? Que estudou no Américo Brasiliense, que frequentou o bar do Licon, que frequentou comitês e festinhas do PT, que tomou porres de vinho no "Duque de Caxias" e ainda, que vai aos shows da Concha Acústica e bebe umas na Casa do Pão de Queijo, bem como, toma uma canja nos dias de Canja com Canja do saguão do teatro ao som de um showzinho das bandas locais... tudo isso, claro, com chegada e retorno ao terminal de ônibus da Vila Luzita...rs
O bom filho a casa torna...
Seja bem-vinda de volta ao lar!

Camilla para os menos íntimos... disse...

não fale Buça Dú é muito pesado, diga "cetinha".

Obrigada Labó!

e quanto a vc Vivian, ô lugar feio, ô povo feio mas eu gosto de ser andreense, o causo é que agora tenho dupla municipalidade, tenho dois comprovantes de endereços... e posso utilizar dos serviços das duas prefeituras, duas cestas básicas, dois óculos e tudo mais que puder tirar dos municipios que as A.S. não me escutem! rsrs!