apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

sábado, 8 de agosto de 2009

e a barriga crescia...

A transa involuntariosa no carro de uma amiga ocasionou uma grávidez indesejada. O que fazer? Como contar à família? Ela queria abortar, ele disse que a mataria se fizesse isso, sua mãe disse que ela se arrependeria se colocasse em prática. A família ao contrário do que se pensava lhe deu todo apoio e possivelmente depositaram nesse novo ser que nasceria o amor que tinham pelo membro mais velho da família e que havia partido à poucos meses antes da notícia: a bisavó (cuidará dela desde os 2 meses de vida, ficaria feliz em saber da notícia - ela pensava).

Nos primeiros meses foi difícil para aquele corpo aceitar um outro ser dentro de si, muito choro, mutação, o corpo se transformando, mais choro, mudanças hormonais, emocionais, físicas. Os meses íam passando e a barriga crescendo. O reprodutor estava pouco presente, haviam brigado no começo da gestação e só no 6º mês de gestação que voltaram a se entender e ele sentiu emoções que nunca tinha externado para a reprodutora, ela o amava. E a barriga crescia. Ela não deixou de fumar, mas reduzirá significativamente, antes fumava um maço por dia, passou a fumar dois ou três cigarros durante todo o dia.

Nos momentos difíceis quando ela ficava melancólica com toda situação pôde contar com a ajuda da família e de alguns poucos amigos verdadeiros que lhe faziam companhia, mesmo quando já não aguentava mais sair de casa porque a barriga estava muito grande. Ela era mãe solteira e a barriga crescia. Emocionante foi escutar pela primeira vez o coração do pequeno ser que estava gerando em seu ventre. Estranho foi quando sentiu algo diferente dar um pontapé do lado direito de sua barriga como quem diz "estou aqui, agora você pode me sentir de verdade, não sou mais palavras apenas" e mais extasiante foi quando viu pela primeira vez na telinha da ultrasonografia a figura daquela delicadeza, "está tudo bem com ela" disse a perita em ultrassom, lágrimas rolaram de seu rosto. Ele não estava lá.

Ela esperava por um menino, comprou roupas azuis certa de que seria mas era uma menina. Ele não estava lá. E a barriga crescia cada dia mais. Qual será o nome? Ela queria Marina mas ele não quis. Chegaram a conclusão que seria Elisa. Ela ficou bonita grávida, tirou muitas fotos, não engordou muito, apenas 6 kg e questionava a sua médica ao ver as outras mães enormes de gordas e inchadas no consultório, pensava existir algum problema com ela mas a Drª dizia "as duas estão bem e saudáveis, para que ficar igual a uma vaca gorda?", ela sorria sempre. A barriga crescia.

Começaram ela e família a comprar a mobilia para a bebê que estava para chegar, muitas roupinhas a pequena Elisa já possuía e ganhava muitas mais. Era delicioso olhar e tocar naquelas roupinhas tão pequenas e imaginar como seria a face da pequena, seu corpinho, o jeito da boca, os cabelos e todo o resto. A barriga crescia e o medo se aproximava. Está chegando a hora, muito choro e várias perguntas sem respostas. Ela perguntava a todas que já tinham filho se iria doer, e elas respondiam "é uma dor suportável". Ela pensava "como assim?". Sua mãe lhe dizia: "larga a mão de ser boba menina! Não entrou agora vai ter que sair!" Isso lhe causava temor se somado com aquela história da dor suportável. E a barriga crescia, até que chegou o grande dia, dores fraquinhas, pausadas, ela achou que não era nada, apenas cólicas afinal nunca tinha estado grávida antes e assim foi durante todo aquele dia. As dores foram aumentando e a barriga dura como um pedaço de madeira, e aí já não haviam mais pausas durante as contrações, só depois que uma amiga chegou lhe disse que o nome daquilo eram contrações e não cólicas normais e que ela iria ganhar o bebê. "E agora?" ela pensou. Fumou o último cigarro. A avó paterna veio e a levou para o hospital. Ele estava com ela e segurava sua mão, foi sentado a seu lado na ambulância, foi preciso ir para outro hospital por falta de vagas. Ele cantava para tentar amenizar sua dor e ela lhe beliscava por conta da dor. Ele queria ver o parto, não foi possível.

Dores insuportáveis e ela lembrava "é uma dor suportável" filhos da puta! A dor lhe cortava a alma, e vinha diretamente do cóquis. "Faça força!" falava a enfermeira na sala de pré-parto depois de lhe fazerem uma lavagem e lhe aplicaram uma medicação na veia que lhe deu ainda mais dores e assim ela o fazia mas não havia dilatação sulficiente. O Drº chegou, era japonês e a mãe dela disse que havia sido um japonês também a fazer o seu parto e que eles eram os melhores, ela ficou mais aliviada, o médico estourou a bolsa, era chegado o momento e as dores eram intensas.

Foi realizada uma cesariana, necessário duas aplicações de anestesia; escutou um primeiro choro fraquinho, já era sua menina recém-chegada a esse mundo de sentimentos e relações tão dúbias. Elisa Dias Caetano nasceu às 00h26 do dia 08/08/2003 com 47 cm e 3.250 kg. Era uma madrugada fria e garoava. Sua mãe ficou em frangalhos depois do parto, como lhe doía o corpo e aquela incisão uns oito dedos abaixo do umbigo, não pensou que seria assim, mentiram para ela. A barriga desapareceu mesmo assim continuava grande e enchada e assim ficou durante os primeiros meses de vida de Elisa.

Ainda no hospital sentiu-se estranha ao amamentar pela primeira vez mas achou a cena muito bonita, era vida! e ela alimentava a sua vida. Pediu pelo celular que lhe trouxessem chocolate, não podia mas todos queriam fazer os gostos da mais nova mamãe. Ela comeu escondida dos médicos, mas ofereceu para a outra mãe que estava no quarto junto com ela e esta recusou, pensou ela "sobra mais". As visitas eram muitas: família e amigos, um clima de total felicidade. Elisa era linda todos parabenizavam a mãe, tinha cabelos pretos como petróleo e olhinhos de jabuticaba. Ela era a cara da mãe quando nasceu todos diziam, pelo menos o nariz parecia que fizeram um de massa de modelar e grudaram na pequena.

Toda família materna e paterna foram visitá-las, levaram chocolate escondido a seu pedido. Ele foi visitar as duas todos os dias mas num dia chegou atrasado e depois do horário, burlou os funcionários do hospital e na última virada do corredor o qual se encontrava o quarto da sua pequena Elisa uma enfermeira o viu, logo ele contou a pior história que lhe veio na cabeça e a enfermeira se emocionou: "pode ir mas vá rápido senão estamos fritos!" exclamou ela. E ele foi. Ela assustou ao vê-lo achou que ele não viria mais. Depois do terceiro dia: ALTA! ela mentiu quando o médico perguntou se já havia evacuado, disse com a maior cara lavada "sim Drº!". Consegui! - pensou ela, pois não poderia sair sem evacuar, poderia causar alguma complicação e ficou feliz pela mentirinha que acabava de contar, não aguentava mais comer aquela comida sem gosto. Sua casa, sua cama, comida caseira e outras cositas mais.

Elisa chorou muito nos primeiros meses e trocava o dia pela noite muitas fraldas sujas e limpas. A ajuda da Tia Célia foi imprescindível. Elisa chorava, Tia Célia acordava e lhe entregava nos braços da mãe que a amamentava, ou ela mesmo apertava a pequena contra sua barriga e aquilo amenizava as dores de barriga da bebê, o seu chazinho de camomila também era milagroso e assim os dias se passaram. Mesmo depois de uns meses a mãe ainda sentia mexer dentro de sua barriga, a mesma sensação de quando a bebê ainda estava lá dentro, perguntou à sua médica, que lhe disse ser normal. A mãe não teve uma estria na barriga (por Deus porque coçava a barriga com o pente fino) e seu corpo voltou totalmente ao normal, até emagreceu uns quilos daqueles que tinha antes, com exceção dos seios que de fartos ficaram pequenos e muchinhos.

Com 5 meses Elisa teve uma febre muito alta, suspeita de meningite. Ele estava lá. O médico pediu para que se retirassem da sala de exames alegando que os pais sofrem mais que os filhos, todavia lhes deu também a opção de permanecerem na sala. Eles preferiram sair. Ela pediu muito a Deus que não levasse sua bebezinha e sentia vontade de colocá-la devolta em seu ventre assim ela estaria segura, sentia medo e escutava do lado de fora da sala sua pequenina chorar enquanto lhe faziam o exame dolorozo. Ela perguntou ao médico se poderia acarretar algum trauma emocional em sua filha, o médico respondeu que não. Ao fim tudo deu certo, era apenas uma infecção de urina constatada somente através da biopsia. Ela pensou que nunca desejaria nada igual a esse sofrimento a nenhuma mãe no mundo. Ele chorou.

Elisa deu seus primeiros passinhos com 1o meses e falou a primeira palavra com 11 meses que foi "mamãe". Elisa deu outra perpectiva para os planos da mãe e isso foi muito bom e ela até voltou a estudar tendo que deixá-la ir para escola com 1 ano e 6 meses, uma vez que, precisava trabalhar e custear sua faculdade, e durante os quatro primeiros anos de vida de Elisa foi assim. O pai era contra tudo isso. Ela tirava leite e deixava para que a filha fosse alimentada e também doou leite, tinha muito. Desmamou-a aos seis meses de vida, a pequena recusava o peito materno depois que percebeu ser mais fácil sugar o bico da mamadeira.

Hoje Elisa está completando 6 anos de vida, é uma criança muito esperta, inteligente, perceptiva, sociável, saúdavel e amada. Seus olhinhos brilham, ela sorri com os olhos, bem se vê que foi bem cuidada. Infinitos serão os agradecimentos de Elisa e sua mãe à sua família que lhe apoiaram desde o começo e também aos amigos que de diferentes formas fizeram toda diferença nesses anos. A família dele também devem agradecimentos mais por esses últimos dois anos que se fizeram mais presentes na vida das duas. Elisa enche de alegria a vida das pessoas que a amam. O pai não é muito presente, lembra das datas comemorativas e compra presentes, mas a ama. Elisa deixou de parecer tanto com a mãe fisicamente falando e herdou do rosto até o jeito de andar do pai, somente o nariz e os dentes separados são iguais aos da mãe. Pai e mãe não estão juntos. O ano que sucede ela irá para a 1ª série, como o tempo passa rápido e muita coisa boa ainda terá a mãe de Elisa para contar sobre sua garotinha.

Feliz Aniversário!

"Vossos filhos não são vossos filhos. São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma. Vêm através de vós, mas não de vós. E embora vivam convosco, não vos pertencem. Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos, Porque eles têm seus próprios pensamentos. Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas; Pois suas almas moram na mansão do amanhã, Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho. Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós, Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados. Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas. O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe. Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria: Pois assim como ele ama a flecha que voa, Ama também o arco que permanece estável."
(Gibran Khalil Gibran)

26 comentários:

Carol disse...

É, Lili... vai vendo... vc ainda vai ter mto que aprender com essa doida da sua mãe. Mas mesmo sendo tão pequena, pode ter certeza que foi vc quem já ensinou,incentivou,divertiu,enfim, MUDOU TODA A HISTÓRIA da Camilla.
Ainda bem.
Parabéns, menininha linda!!!Todas as melhores coisas do mundo pra vc....

bjos!!!

Camilla para os menos íntimos... disse...

eu te amo muito!
muito axé na sua vida, que os orixás te guardem e te protejam, bençãos de Oxalá e Iemanjá, axé da Iansã e caminhos abertos de Ogum.
beijos, muitos beijos no seu coração.

agora está eternizado!

Rodrigo disse...

Parabéns as duas flores do dia!
Muitos e muitos anos mais de vida à vocês!
Lhes amo muito, só falta chance, rs!
Beijos com afeto.

Carol disse...

Apesar de eu estar ausente na vida das duas agora, por mudanças e voltas q a vida dá, fico feliz e muito emocionada por ter estado lá e ter participado dessa história tão linda!
Vcs moram no meu coração e vão estar aqui pra sempre. E mesmo com essa "distância" eu digo q estou aqui, desejando toda felicidade do mundo pra vcs. E q sempre q precisar estarei aqui!
Bju enorme cheio de saudade

Anônimo disse...

Elisa, você é um presente...Nunca se esqueça disso...
Camila, você é uma rainha, guerreira, abençoada!linda história!

Desejo todas as bençãos para vocês!

Negravat

michelle disse...

Estou emocionada com a sua história amiga querida e de certa forma também fiz parte dela.Eu e a Pri passamos muitas tardes na sua casa,lendo livros,conversando sobre amores,choramos e sorríamos juntas.Toda quinta e domingo íamos pro forró universitário no Squash(hj já não existe mais).Era praticamente impossível ver Camilla sem que ela estivesse ao lado do "Bonito".Ele um amigo de décadas,ela(Camilla) uma amiga que a vida me deu e aprendi a gostar e entender seu jeito as vezes complicado de ser.Passou o tempo,engravidou e teve a ELISA!!
menina linda que traduz no olhar toda inocência de uma criança.
QUE DEUS ABENÇOE VCS SEMPRE...
Bjs no coração de uma amiga não tão presente que jamais esquecerá de vcs!!!!

:: Soul Sista :: disse...

Linda sua filha, maravilhoso texto que extravasa todas as emoções envolvidas no processo de trazer um ser ao mundo e ao se responsabilizar por ele no decorrer da vida. Parabéns pela filhota, pela família que tem e por ver tudo com tanta clareza!
Para mim, as memórias de famílias negras são uma bela e profunda forma de cravarmos nossa cara nesse Brasil racista.Por isso, acredito, ela faz tão bem ao nosso interior. Continuemos, rosa negra!

Vale vc ver no meu blog o texto para o meu avô (o 1o e impulsionador deste blog - "Um Leli encantado"); o texto sobre a ex-sala amarela de minha mãe e uma homenagem a duas tias avós minhas, no texto "Minhas duas ancestrais vivas".

Beijos

LUMA_AMUL disse...

Simplesmente adorei os textos...PARABÉNS minha pérola negra pela atitude,gosto muito de ti, e parabéns a peróla negra menor que diga-se de passagem é LINDA!s2

ruth disse...

(Puts...esse à parte não poderia deixar de postar rs..."uma dor suportável..." kkkk que coisa mais descabida!Desculpa o desabafo mas nunca compreendi tamanha falácia rs!)

Hum... conheci a estrela de Elisa, todo próprio e elaborado seu brilho, heranças...?não sei, o que percebi é que a dose de delicadeza se expande com a de generosidade que sua alma tem com o mundo na forma de interagir, ela desfila "sangue bom" nas veias e isso tende a ser bastante complicado rs, imagino idéias, modas e encantos que já estão sendo cuidadosamente tramados na caixinha de surpresas de sua essência.
Ôh Elisa, deve dar um trabalhão ser filha dessa serelepe da sua mãe que se desdobra e redobra que nem origami só pra...como diria aquela música que o A.Antunes canta...
"Fiz uma chanson d'amour
Fiz um love song for you
Fiz una canzone per te
Para impressionar você.../ Tá tudo consumado..."
Beijorocas cheias de bolhas de sabão coloridas e no rítmo da cañção que vc mais gosta no momento!!!

Helen do Carmo disse...

É.... e já se passou 6 anos, que essa garotinha veio ao mundo.
Me lembro como se fosse hoje, ela com uns 5 meses já ficava em casa, e eu não via a hora de chegar da escola para cuidar dela... aquela criança que nem andava, e hoje já corre, que nem falava, e hoje fala até pelos cotovelos.
Uma formosura, e é com ela que volto a ser criança.
Lili que seu mundo seja repleto de alegria, e que continue sendo tudo cor de rosa.
Camilla?... Uma verdadeira guerreira

( musiquinha que ela me ensinou - PIPOCA )

♪ Uma pipoca na panela
Chegou mais uma para conversar
Foi um tremendo falatório
Ninguém podia mais agüentar
Foi um tal de
Proc...Proc...Proc. ♪

Beijinhos e abraços.

Helen

Gil Rosza disse...

Olha! Não conheço a Elisa pessoalmente, mas pela foto, além de filha é clone linda de Pretty Pretta. Se filhos são frutos, então que plantem um pedaço da gente no futuro!

Bejão meninas!!!

Rui disse...

É minha cara amiga, as vezes parece que a vida é uma ficção.Penso quando a Elisa tiver grande e ler esse texto, com certeza ela vai colher para adptar com outras historias de felicidades, encontros e desencontras de sua existencia...afinal, existir num é isso?
Parabêns e muitas felicidades a essa criança mais linda da cidade!!!

Fabinho disse...

Parabens linda elisa... sua vida esta entregue ao mundo, as vezes este mundo nos assuta mas tb nos faz muito feliz. Tenho certeza que não se sentirá abandonada, porq vc tem uma camila em sua vida (sua mãe q é uma perola negra)seja feliz sempre mesmo que as pessoas lhe digam ao contrário.

Cássio disse...

Essa historia da Camila posso compartilha um pouco...

Tudo começou com um tal de Bonito...

Me lembro na frente da escola, ela me dizendo assim...
Aiaiai, esse Bonito não sei que lá, não sei que lá, etc tal.Tralálá, tralálá..

Olha a grande recompensa que ela conquistou.
A princesa Elisa !

Só você mesma Camila.
Que pode dizer dessa grande historia.
E por tudo o que passou..

Beijos a vocês, e claro, Feliz Aniversário Elisa ! atrazado...

Pri disse...

Q bom ter feito parte desta história amiga...pude participar mês a mês de acontecimento em sua vida, as mudanças de humor q não foram fácieis...mas ficaria do seu ladoem qualquer situação da sua vida pq amo vc... Elisa menina iluminada por Deus q veio para dar novos rumos em sua vida...Toda energia positiva pra vcs...Bjus no coração

Jéssica disse...

Que texto mais liiiiindo, Camilla! Tô begeee! AMEI! *O*

Parabéns Elisinhaaa! Que Deus te ilumine hoje e sempre! Continue sendo essa criança linda e especial que você é! TUDO de mais doce e de MELHOR no mundo pra você!

Muuuuuuuuitos beijos!
Jé :)

karen disse...

Camila,
voce tem uma linda filha.
parabens pelo lindo ato de coragem de expor essa linda estoria li com muito carinho e cuidado para saber escrever agora.
A nossa Elizinha tem um sorriso magico e encantador, e uma dadiva de Deus independente de religiao.
parabens pela linda filha encantadora e feliz.
essa garotinha tem e vi ter cada vez mais muito orgulho de voce.
a eliza e maravilhosa muito alegre pois tem uma mae lias uma super- mae esforçada e corajosa que enfrenta tudo com muito jogo de cintura.
beijos
karen

Denise disse...

Achei muito lindo esse blog em homenagem a Elisa... pois é, estavamos num baile dançante, houvindo um bob quando de repente a Camilla sumiu, eu e a Rê demos uma volta e de longe avistamos um carro dançante também hauhauhau, ali nascia... sem a gente esperar, nasce uma pequena flor, que hoje concerteza tem muito amor, e hoje além dela achar que minha mãe é a tia e eu a prima, sou a Cabeleireira particular dela, ou melhor a cabelera como ela diz, e quando ela estiver maior e ler o blog, não se esquecer de ser minha cliente fiel hauhauah, amo tanto a filha quanto a mãe, Deus abençoe vcs, beijos

Priscila disse...

As vezes atos impensados e desmedidos resultam ou no que nos causa dor e sofrimento ou em mta alegria...Neste caso graças a Deus e nossos orixas resultou em alegria, amor e algo indefinivel e descritivel que é ver um ser tão lindo como Elisa sorrir não é ???? Ainda não sei o que é ter um filho, mas imagino que nada pode explicar somente sentir.

Ainda não conheço esse anjinho, mas imagino o quanto ela deve ser especial, seu sorriso mostra isso, quero muito um dia conhecer não somente Elisa, mas quem deu vida a esse ser e quero muito que ela de valor ao grande amor que a mãe dela deu dá a ela a cada segundo, também quero que ela saiba que sou uma apaixonadaaaaaaaa pelo seu lindo sorriso.

maira disse...

Elisa,menina linda,simpática como a mãe...apesar de toda dificuldade hj tenho certeza do orgulho q a Camila sente pela Elisa.Tudo be bom a vcs duas

Sara Priscila disse...

UAU ! Me emocionei lendo, lindas palavras, mais linda ainda a trajetória! A Lili é uma gatinha muito amada por todos nós, abençoada por Deus e com um propósito: trazer alegria a vida de quem a rodeia. Essa guria tem futuro e luz própria. Nossa estrelinha *-*. Mesmo pequena no tamanho, tem espirito gigante.. e mesmo que sem saber, ensina a mãe rsrs. Por tudo o que passou, creio que a chegada da Elisa, fez com que a Camilla visse o mundo com outros olhos e isso só contribuiu para o crescimento e amadurecimento dela(Camilla). (minha opinião) ... Amo demais essas duas pessoinhas. Aliás a minha familia toda, são TUDO PRA MIM! Lili & Milla as quero muito! Que Deus ilumine seus passos e lhes abençõe muito³. Beijos mil da priminha de vocês. Sara P. Dias dos Reis

Juliana disse...

Foi barra né ? Chorou tanto...mas tanto... mas valeu a pena heim... a pequena é linda demais... e vc tb ficou mais bonita depois dela... no final tens mesmo é que agradecer por tudo ter acontecido do jeitinho que aconteceu... parabéns pras duas rosas negras que mais parecem um chocolate ao leite... um salve pra ele tb né... sem o qual a pequena Elisa não seria nossa flor...

Cris disse...

oi querida!
Q lindo texto, vc é mesmo incrível.
Sabe, tantas coisas q já passamos juntas, fico feliz de saber q vc se continua se desenvolvendo positivamente...Ñ digo isto só pelo texto bem escrito, mas principalmente pela boa mãe q tem se tornado.
Q Deus te abençoe querida, agora com a Lili entrando na 1 série, terá novas descobertas e iniciará sua vida acadêmica, ela vai te trazer muitoooo orgulho ainda.
Vc merece viu?
Grande beijo, sempre te admirarei
Cris kidi

Rafael disse...

o q falar da eliza que ela é uma neguinha muito linda, converssadora que cativa todo mundo apenas com seu simples olhar,o q eu sei dela é isso kkkkkkkkkkkk!!!

Priscila disse...

Só posso dizer que a Lili ja faz parte da minha familia...Tenho um grande carinho por essa lindinha,,é muito bom passar o dia com ela e poder estar presente nesta fase tão importante;nossa ligação não é somente de prô para aluninha mais sim um laço de amor e amizade para sempre..tenho certeza....Ja faz muito tempo que conheço a Camila e sei que por tudo que ela ja passou nada foi fácil,acompanhei momentos muuito dificeis e tristes,mas tudo o q percebi foi força , garra de viver e ser feliz,,,essas duas moram aqui dentro do meu coração...amuuuuu muito!!!!bjusss

William Orozimbo disse...

William solta a voz....
Grandes vitórias a grandes pessoas como vc camilla quando a Elisa crescer ela terá um grande espelho,porque mãe é a unica que defende os filhos em todos momentos,e sei que vc camilla! é o anjo da guarda da mais bela Elisa....