apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Companheira,

sei que você vai chorar quando ler esta carta, mas quero deixar de ver você por uns tempos. Vai ser difícil para mim, pois me acostumei à sua presença, porém não vejo mais motivos para continuarmos juntas. Não nego sua importância; em diversos momentos difíceis da minha vida você permaneceu comigo, mesmo quando todos se afastaram. Só que, com você, sinto que não ando para a frente. Esse seu pessimismo me atrapalha. Tenho tentado evitar você de todas as maneiras, e isso não é legal. Ainda mais porque sei que se magoa por qualquer coisinha. Mas basta você chegar e lá se vai minha alegria. Não agüento mais os seus assuntos mórbidos, a sua cara desanimada. Até sexo, com você, ficou sem graça. Nada mais broxante do que gente que chora durante a transa. Perdi anos de minha vida ao seu lado, tristeza, acreditando em tudo que você dizia. Que o amor não existe e o mundo não tem jeito. Você é péssima conselheira para suas parceiras - que o digam a Marilyn e a Sylvia*. Agora, chegou a hora de dar chance à alegria, que há muito tem mostrado interesse em passar uns tempos comigo. Ela me elogia, sabe? Você? O único elogio que eu lembro de ter ouvido de você foi que eu fico bem de olheiras. Veja bem: não estou dizendo que quero acabar com você para sempre. Sei que estou presa a você, de uma forma ou de outra, pelo resto da vida. E podemos muito bem ter os nossos momentinhos juntas, aos domingos ou em longas tardes de poesia. Só não posso é continuar à mercê dos seus péssimos humores, dia após dia, sabendo que você nunca irá mudar. Chega de fornecer moradia à sua pesada existência. Desde pequena, abro mão de muita coisa pela sua companhia. Festas a que não fui porque você não me deixou ir, paisagens lindas nas quais não reparei porque você exigiu de mim total atenção, amigas que perdi porque insisti em levar você comigo a todos os lugares. Ora, tristeza, tente ao menos ser mais leve. Sorria de vez em quando, pare um pouco de se lamentar. Ou vai continuar sendo assim: ninguém querendo ficar com você. Não vou cobrar o que deixei de ganhar por sua má influência, pois sei que tristezas não pagam dívidas. Mas quero de volta meus discos de dance music, que você tirou da prateleira. E minhas roupas estampadas, que sumiram do meu armário depois que você se instalou aqui. Por favor, não tente entrar em contato comigo com as mesmas velhas razões de sempre. Não é a fria lógica dos seus argumentos que irá guiar meu coração daqui por diante. Quero ver a vida por outros olhos, que não os seus. Quero beber por outros motivos, que não afogar você dentro de mim. Cansei da sua falta de senso de humor, do seu excesso de zelo. Vá resolver as suas carências em outro endereço. Como me disse o Lulu, hoje de manhã, no carro, a caminho do trabalho: "Não te quero mal, apenas não te quero mais".

*A autora refere-se à morte da atriz Marilyn Monroe e da poetisa Sylvia Plath.

Para a Tristeza,
de Fernanda Young. Escritora, roteirista e apresentadora de TV

Mas bem que poderia ser meu. E dedicado à você, obviamente, querida. Afinal, somos ou não somos um trio?!

te amo.

Carol















4 comentários:

Camilla para os menos íntimos... disse...

Este post foi uma invasão ao meu blog, invasão de uma amiga, posso dizer "melhor amiga" que eu tenho e provavelmente terei durante toda minha existência: Carolina Ribeiro Prestes.

Ela disse que tinha uma surpresa pra mim e me pediu o endereço do blog, depois disse que queria postar sem precisar me pedir, que era pra eu abrir o blog e ver já postado mas não conseguiu, rs!

Eu amo essa mina e se eu fosse homem eu a comeria! rs! mas o universo nos enviou ao encontro uma da outra apenas para sermos amigas. Ela também é o meu laxante, toda vez que conversamos algo estranho acontece no meu intestino, conversas com eco do banheiro são de praxe rs!

Obrigada amiga de tantos anos, tantas coisas vividas, tantos risos e assuntos de vento (sábio Paulinho da Viola), choros, decepções, praias com o carcereiro, porres, um TCC que não rolou e outras cositas mais. Você não é a tristeza mas esteve comigo nos meus melhores e piores momentos, e os piores que os digam né! Tem muito a ver com a gente esse texto e para nossa reflexão mais ainda, momentos díficeis esses que estamos passando e sempre tem algo de muito parecido nas nossas relações interpessoais. Somos um trio sim e sempre seremos, eu te amo muito também, beijos no coração.

Camilla para os menos íntimos... disse...

que assim seja para a eternidade: a tristeza pra lá dando caminho a alegria e a nossa amizade sempre em dia.

FABI disse...

E vc querendo uma declaração como a que fiz no meu blog... qta blasfêmia!!!

Indianara Nonzamo disse...

Que bonitinho, nada como valorizar o que temos de melhor

As amizades,

Ja diz o samba: A amizade ne mesmo a força do tempo irá destruir, somos verdade, nem mesmo este samba de amor irá ... Quero chorar, quero chorar do teu choro, quero sorrir teu sorriso, valeu por você existir amigo.

Preta obrigada por todos os momentos de confidências e afins, a vida nos uniu de uma forma engraçada, mas é isso ai alguém deve saber o que faz rs

TE AMO do fundo do meu coraçãozinho preto