apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Balada do amor.

É preciso fugir
De todo o amor que faz sofrer
É preciso fugir do amor
Talvez a chuva lá fora faça bem
Talvez o frio da noite
Seja como alguém

Solano Trindade.

4 comentários:

Carol disse...

Eu não fugiria do amor...por mais sofrido que ele seja, sacrificado, difícil...ainda assim valeria a pena tentar, cada amor é diferente do outro, mas não deixa de ser amor, e quem é que vive sem amor ?
Eu sou uma eterna apaixonada !! rs

Camilla para os menos íntimos... disse...

faço de Solano minhas palavras, digo, fugir de todos os amores que fazem sofrer, os que ainda não fazem que sejam bem vindos.

Carol... disse...

"Eu fujo
Tu safas-te
Ele some-se
Nós damos às gâmbias
Vos ides na guita
Eles raspam-se

Eu fugi
Tu cavaste e
Ele deu às canetas
Nós pirámo-nos
Vós destes o fora
Eles deram à sola

Eu fugia
Tu davas às de vila-diogo
Ele levava sebo nas botas
Nós pusemo-nos na alheta
Vós íeis com o gás todo
Eles pisgavam-se

Eu fugirei
Tu irás na gasosa
Ele tingar-se-á
Nós passaremos as palhetas
Vós ireis na patanisca
Eles pôr-se-ão a milhas

Eu fugiria
Tu irias a toque de caixa
Ele daria às flautas
Nós levaríamos fogo no rabo
Vós bateríeis a asa
Eles iriam a nove."


E lá vamos nós - eu e o amor.

FABI disse...

Balada do amor inabalável?!?!

I don´t think so!