apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

domingo, 30 de maio de 2010

Salvo-me a mim mesmo.


"Eu escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida."
(Clarice Lispector)

Vendo essa frase lembrei de uma conversa com um amigo, quando me disse dia desses estar sempre on-line no meu blog, procurando algo, dessa forma eu lhe faço companhia até quando estou off. Exclamou rindo que eu não coloco, encaixo as palavras, que as idéias não se repetem, cada paragrafo é bem colocado e mais mil elogios. Acredito que ele puxe uma sardinha pra mim pelo fato de sentir grande empatia pela minha pessoa, ele diz que NÃO. Enfim, entre tantos elogios feitos e fato me senti muito afagada no ego, um deles me chamou a atenção: me disse que ter eu perfil e emocional de escritora, que há algo de destrutivo em mim além do ronron (conceituou ser um miado de gato parecido com gemido quando querem chamego e atenção) e que passo com meus escritos. Comparou-me a "destruição" e a sensibilidade de Clarice Lispector. Mas como assim? Que disparate é esse? Que loucura! A condição é a seguinte, primeiro: não acho tudo isso não, acho que são textos primários de uma pessoa perturbada; segundo: nunca chegarei a unha do dedo mindinho do pé da Sra. Lispector, nem em escritos nem a nível de sensibilidade. No fim entendi o porque da comparação e me senti ainda mais lisonjeada. Apesar de tudo me sinto um pouco [mi]spector em alguns momentos da minha existência, talvez a maioria deles. E como na frase, eu Camilla, escrevo para me sentir e me manter viva, salvo-me a cada escrito (se vai ficar bom aí é uma outra história). Minha indignação e meus escritos é que ainda me mantêm viva nessa loucura interior e exterior a que estou submetida obrigatoriamente todos os dias da minha vida.


PS: esse texto tem tantos "que" credo! falta de malemolência na escrita, por esses dias meu cérebro anda meio atrofiado e eu não estou conseguindo pensar rápido, há uma certa lentidão na interpretação e entendimento de textos e nas falas das pessoas, leio várias vezes pra poder entender, peço que as pessoas repitam o que disseram, está ficando preocupante essa situação.

4 comentários:

Aflore. disse...

Ah Camilla seu blog é bom de ler, por que dá pra sentir você, e isso é tudo. Não sei se deve haver uma comparação de inferioridade com relação a Srª. Lispector, acredito que ela seguiu o mesmo caminho, ficou famosa pelo que escrevia, mas começou um dia, nada que voce não consiga alcançar, afinal, seu blog é muito muito bom de ler, voce tem o dom!

Camilla Aloyá disse...

obrigada querida!
deve ser a minha baixa auto-estima que me faz enxergar tudo assim.

Didi. disse...

Você é intensa mas delicada tal qual Lispector.

Camilla Aloyá disse...

estava lendo algumas postagens antigas agora, que merda! deu vontade de apagar tudo, não gosto de ler o que escrevi nos anais, acho tudo muito ruim...