apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

O admirável mundo novo.

Diante da alta tecnologia que nos assola a vida e o mundo por completo: iPod's, iPhone's, Netbooks, livros na web, vídeo game sem controles, hipermercados sem caixas, carros movidos a luz do sol, que estacionam sozinhos, robôs e tale coisa e coisa tale, o mundo se transforma a casa segundo, pessoas nascem, pessoas morrem e a tecnologia não pára não, não pára.

Posso dizer com certo remorso que sou vítima desse sistema frenético que é a tecnologia mas também posso afirmar que ainda estou me adaptando, fico meio perdida diante de algumas novidades ou mesmo de algumas funções que desconheço no computador. Na verdade não nos damos muito bem, temos lá nossas divergências vez e outra, mas tento entendê-la.

A humanidade, desde os mais abastados financeiramente até os mais pobres estão ligados a toda essa modernidade direta ou indiretamente. Reféns se é que não posso dizer que estamos condicionados ou até robotizados, poderiamos conceituar "de dominação impessoal" encontrado na teoria sobre o capitalismo de Karl Marx. Como Marcuse, poderiamos relacionar a revelação tecnológica, não à historia do ser, mas às conseqüências da persistência das divisões entre classes e entre regras mediadas tecnicamente por instituições de todos os tipos. A tecnologia pode ser e é configurada de tal forma que reproduz a regra de poucos sobre muitos.

A internet é o que mais me chama a atenção, a qualquer hora em qualquer lugar tem alguém conectado. O senso comum diz que com a internet não precisamos mais sair de casa, pois, com um simples toque conecta-se e o mundo vem até você. Outros julgam que as pessoas cometem alguns atos sem necessidade uma vez que na internet tem tantas informações. Chegamos no ponto, informação jogada ao léu sem direção é a mesma coisa que nada. Nossos adolescentes tem muitas informações, tantas que nem ao menos sabem por onde começar. É necessário direcionar, pontuar a tal informação.

Lembro-me bem quando trabalhava com crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil, muitos diziam que ficavam fazendo malabares, limpando vidros de carros ou vendendo balas nos faróis para usar o dinheiro na lan house ou para comprar um celular. Sem recursos para terem um computador em suas casas, uma vez que, esse acontecimento no Brasil vem crescendo cada vez mais, muitas pessoas ainda não chegaram num patamar financeiro condizente para aquisição da máquina.

Algumas pessoas me diziam também que a condição/índice de gravidez na adolescência se dá pela falta de informação e que na contemporaneidade é inadimissível já que temos tudo dentro de um computador. Erro grave. Acredito que seja através da educação + informação que esses processos possam vir a acabar ou ao menos minimizar.

A tecnologia é um fenômeno de dois lados: de um o operador, de outro o objeto, onde ambos, operador e objeto são seres humanos. Aliás, a sociedade é organizada ao redor da tecnologia, o poder tecnológico é a fonte de poder desta sociedade. Poder que faz com que tantos provedores de famílias não encontrem empregos: pela falta de conhecimento, escolaridade ou porque as máquinas entram em destaque em seus lugares tirando o sustento de sua família. Nossos filhos são ludibriados pelos sistemas de comunicação a consumir esses produtos mais e mais em ritmo acelerado. A criminalidade de certa forma sustenta a indústria de segurança que se beneficia, usa e abusa da tecnologia com intuito de resguardar a vida dos seus clientes. Sem contar que a destruição causada ao meio ambiente em prol da aceleração tecnológica é gigantesca.

Não estar conectado a rede mundial de computadores é um fator excludente?

Tecnologia faz bem ou faz mal?

4 comentários:

GIL ROSZA disse...

É um caminho sem volta! O melhor é aderir! Hoje em dia, poder é conhecimento... quem tem domínio de tecnologia da informação. Quem é capaz de criar e operar sistemas rápidos de transferência de valores. Tecnologia de ponta tem tudo a ver com isso, basta ver como as nossas vidas e dos bilhões de pessoas em que vidas e negócios dependem cada vez mais de nomes curiosos como Oracle, Sun, Apple e Windows. Infelizmente, a real é a certeza de que o mundo novo nunca será mesmo pra todo mundo.

Felipe Souza disse...

muitooo bom seu blog, sucesso pra vc .

visita o meu http://inconsequentte.blogspot.com/

Camilla Aloyá disse...

valeu Felipe, visitarei.

Anônimo disse...

Il semble que vous soyez un expert dans ce domaine, vos remarques sont tres interessantes, merci.

- Daniel