apenas eu.

Minha foto
"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm." (1 Coríntios 10:23a)

transeuntes.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Prestação de Serviço?








Trabalho nos Centros Comunitários em dois grandes núcleos habitacionais de Santo André (vulgo: Favela) entre algumas "bocas ou biqueiras" como preferir. Medo? Nunca tive, moro na periferia e nada do que eu veja vai ser novidade, não é nada que os noticiários não mostrem cotidianamente. Pra trabalhar na área social não se pode ter medo deve-se ter é indignação. Se achas que já viu um desgraçado sempre terá um desgraçado maior mais a frente mas quem liga? São apenas números, estatísticas, mais um que deveria morrer mesmo, era um "drogado", mais um que deveria mesmo ser preso, era um marginal e por aí vai, torna-se normal, as pessoas se acostumam a ver mortos em frente das suas casas, a ver os carros de polícia invandindo a sua casa, a sua comunidade e os burgueses sentem medo e apoiam qualquer atitude que os preserve.

Hoje durante o trabalho aconteceu algo diferente, eu já imaginava que fosse dessa forma mas foi inédito para mim presenciar como é a captura. Algumas estagiárias de Produção do SBT chegaram no local que eu trabalho à procura de "Contatos" para um programa chamado "Casos de Família" e conversaram com três senhoras moradoras da comunidade que a esperavam. Eu quis ver e ouvir de perto o que as estagiárias diriam sobre isso, que é considerado um "emprego" na sociedade, afinal elas - as estagiárias - também são assalariadas.

Esses "Contatos" tem denominação de "trabalho sem vínculo empregatício" pela produção do programa, é assim: esses "Contatos" são intermediadores/caçadores de outros contatos, ou seja, buscam histórias de pessoas na comunidade que se encaixassem com os títulos dos programas a serem gravados e em troca ganham um valor por cada contato feito e tanto esses "Contatos" como as pessoas capturadas assinarão um contrato com a produção no intuito de contar a sua "história" verídica diante das câmeras em rede nacional e internacional, essas pessoas também ganham um valor pela exposição da sua vida particular.

As estagiárias, 4 patricinhas no meio de uma das favelas mais perigosas de Santo André a captura de pessoas reais, que façam a captura de outras pessoas reais para dar audiência ao programa sensacionalista, com poder de convencimento até que razoável para uma população carente, com deficit de necessidades variadas e vivendo a crise do mundo do trabalho. Fácil? Sim, afinal elas estão no lugar certo na hora certa. Díficil foi eu conseguir ficar naquela sala depois de ouví-las dizer em tom de benevolência que "as pessoas que vão ao programa ganham muito com isso, a produção vem buscar e trazer do programa, pagam alimentação, cachê, maqueiam e ainda se a pessoa não tiver dentes é colocada uma prótese custeada pelo programa para que possam aparecer bonitas na TV, são todos benefícios, em troca devem expor seus problemas e até se estapiarem diante das câmeras se for preciso mas nem todos os casos são agressivos tem alguns mais leves e engraçados". E eu ainda quis tirar uma onda dizendo "ahhh! é tipo uma prestação de serviços!?" elas me deram um sorriso amarelo e não disseram nada, sei lá se entenderam a piada, que era elas - as estagiárias - estarem ali prestando aquele papel.

7 comentários:

Ni disse...

sabe preta
acabei de ler um lance do reich
que diz assim:
escuta zé ninguém
aprendi a reconhecer o fato de que a tua doença emocional que te destrói minuto a minuto, e não qualquer poder exterior. há muito que terias suprimido os tiranos se estivesses vivo e sadio no teu íntimo.

Kelly disse...

Isso dá um show de stand up da área social.
Definição do programa pela emissora - O "Casos de Família" retrata a vida de cidadãos comuns com realidade e sensibilidade.
A intenção é orientar e até mesmo solucionar os casos apresentados contando com a participação de um profissional especializado em comportamento.É quase um deparamento da Assistencia Social, Como profissionais capacitados.
Pra mim o a melhor é a palavra, nesse emaranhado de boboseiras, "Sentimento".
Sentimento. e pobre tem sentimento nesse sociedade?
Espero ter forças para contemplar uma sociedade digna, com sentimentos nobres.Aonde todos crianças, idosos, mulheres,trabalhadores,negros.....
Tenham seus direitos preservados e sentimentos protegidos.

Paulo Sergio disse...

é realmente revoltante mas é o que acontece diariamente em várias partes deste país enigma e não podemos deixar de nos indignar quando páramos de nos indignar aceitamos as coisas.

Gil Rosza disse...

E depois a orfandade ideológica que segue forte, quando vc diz que isso contribui de certa forma pra imbecilização de mentes em formação, vem o que afirma ser relativista e te chama de intelectual burguês-sunita, reaça, ressentido e inimigo da cultura popular! Cultura popular? Orra meu, francamente! =D

Paulo Paz disse...

é o "Show Bussinnes" da Tv brasileira, e ha quem alimente diariamente estes shows.

Longituderelatividade disse...

" Queria querer cantar afinado com eles/silenciar em respeito ao seu transe, num êxtase/ Ser indecente? Mas tudo é muito mais."

Anônimo disse...

ridículo!